Internet em Cabo Verde: dados, insights e umas verdades

Artigos

Internet em Cabo Verde: dados, insights e umas verdades

Kriolu Business
Escrito por Kriolu Business em fevereiro 27, 2023
Junte-se a mais de 1.000 pessoas aprendendo sobre marketing digital

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Fala, blogueiros!

Vamos conversar um pouco sobre a realidade do acesso à Internet em Cabo Verde?

Você já leu essa, certo?

Caro cliente, o saldo de Internet está próximo de se esgotar. As próximas navegações serão descontadas do seu saldo.

notificação cvmóvel

Vamos lá…

Neste artigo vamos abordar um assunto relevante neste contexto de marketing digital em Cabo Verde que faz todo o sentido para os blogueiros.

Se marketing digital é usar ferramentas digitais para fazer marketing, então, falar do acesso à Internet em Cabo Verde é essencial, ou senão, o ponto principal. Não se faz marketing digital sem Internet ou quando é caro acessá-la.

Escrevemos este artigo como forma de criticar a realidade de nosso país quando o assunto é o acesso à Internet e mostrar alguns dados e histórias.

Nós sabemos! A mensagem acima é uma notificação referente ao saldo de Internet móvel do provedor Alô, mas convenhamos, em Cabo Verde nem a Internet móvel, nem a fixa podemos pagar o absurdo tarifário. Quem em são juízo navegaria na Internet com saldo!?

Como blogueiros precisamos entender bem a nossa realidade. Blogueiros estão on-line 24 horas/dia. E, em Cabo Verde, esse tempo on-line tem um preço, e falo justamente em $.

Com isso eu não queremos dizer que em outras partes do mundo os provedores de Internet não cobram pela conexão à Internet, mas considerando que estamos no Séc. 21 e em um país que quer se tornar um hub digital na África, passou da hora de mudar esta cruel realidade.

Entender a realidade do acessp à Internet em Cabo Verde vai te ajudar a entender que a política das empresas como a Alô e a Unitel T+ (as únicas no país) em relação aos serviços de acesso à Internet não favorecem a quem deseja se aventurar na Web e viver de blogs, sites, canas no Youtube, etc.

Começamos com um exemplo – temos um canal no Youtube onde orientamos pessoas sobre como fazer pedidos de vistos para o estrangeiro, a partir de Cabo Verde. Com isso, gostaríamos que com as visualizações de nossos vídeos no Youtube pudéssemos monetizar o nosso canal, mas a grande verdade por detrás disso é que muitas pessoas, como já nos contaram, ao invês de assistir os vídeos no Youtube, fazem o download do vídeo para assistirem offline por causa da falta de dados móveis para assistirem os vídeos diretamente pelo Youtube.

É lamentável.

A primeira verdade é: nós não podemos nos dar ao luxo de assistir vídeos no Youtube como gostaríamos. A não ser que paguemos o preço – que veremos mais abaixo.

É verdade que existem blogueiros que deixaram seus empregos, recusaram propostas de empresas, guardaram seus diplomas universitários e vivem de blogs; e a grande verdade por detrás de tudo isso é que ganham muito dinheiro, dinheiro suficiente para viverem bem, muito bem.

Mas, esse pequeno detalhe sobre os custos da conexão à Internet já muda tudo no trabalho desses blogueiros, porque diariamente trafegam na Web e nós, aqui, não temos essa liberdade, justamente por causa da limitação de dados de Internet e seus custos.

Se você acessar o site da anac.cv você vai poder ler um artigo sobre o advento da Internet em Cabo Verde:

Desde 1997, data em que se deu inicio à comercialização da Internet em Cabo Verde, pra cá, percebe-se que não faz muito tempo que estamos on-line. Houve muitas melhorias nos meios tecnológicos de acesso à internet, sim, mas mesmo com a cobertura 3G/4G em muitas áreas do país, ainda não podemos nos gloriar, porque sua cobertura é medida em $ (escudos).

isaías cardoso

Pense nisso:

  • quanto achas que é o custo para um blogueiro ter uma conexão à Internet que o ajude a fazer seus trabalhos na web sem pensar que daqui a pouco os megabytes vão terminar ou não poder ultrapassar seu orçamento com um pacote de Net Control, por exemplo?
  • quanto custa fazer upload, download ou assistir vídeos no youtube?
  • quanto custa estar on-line 24 horas em Cabo Verde?

Nós não damos ao luxo de “fazer o que bem entendermos” na Internet porque isso nos custa muito caro.

Hoje, para ter uma conexão com dados ilimitados custa em torno de 5.000$00 (cinco mil escudos Cabo-verdianos), um valor em torno de 60 dólares; agora me responda: quanto deveria ser o meu salário para que eu possa ter como pagar esse valor mensalmente só para ter uma conexão ilimitada de dados à Internet em Cabo Verde?

Se não procurarmos formas de ganhar dinheiro na Internet em Cabo Verde com essa conexão, de que forma eu poderia pagar para tê-la?

Quando uma empresa, provedora de Internet, define o preço de seus serviços com base em megabytes de dados trafegados, ela tira do usuário toda a liberdade de navegação que a própria Web proporciona.

isaías cardoso

Quando pensamos nos meios de comunicação, lamentamos a cruel realidade quanto às políticas de acesso à Internet em Cabo Verde e o preço dos serviços cobrados pela Alô e a Unitel T+.

Só para exemplificar: um amigo nos contou que ao questionar um operador da Telecom Cabo Verde sobre o por quê de os custos de acesso à internet serem tão altos, a resposta foi a seguinte “quando se chupa uma laranja, você chupa até sobrar só o bagaço“, em outras palavras, quando sugam do povo os $, sugam até o último centavo.

Declaração impressionante, não é?

Em outra situação, nós reclamamos dos altos custos de acesso a Internet em Cabo Verde e a falta de profissionalismo de muitos dos funcionários da empresa que trabalham no SAC, um usuário, utilizando o perfil da própria empresa comentou “ê pa mama” (é pra chupar), a mesma ideologia do operador do exemplo anterior, ou quem sabe seja a própria política suja da empresa.

Vejamos alguns dados estatíticos:

Uso da Internet em Cabo Verde em 2023

Havia 415,9 mil utilizadores de Internet em Cabo Verde em Janeiro de 2023.

A taxa de penetração da Internet em Cabo Verde era de 69,8 por cento da população total no início de 2023.

A análise da Kepios indica que os utilizadores de Internet em Cabo Verde aumentaram 3.695 (+0,9 por cento) entre 2022 e 2023.

Para efeitos de perspetiva, estes números de utilizadores revelam que 179,9 mil pessoas não utilizavam a Internet em Cabo Verde no início de 2023, sugerindo que 30,2 por cento da população permanecia offline no início do ano.

Velocidades de ligação à Internet em Cabo Verde em 2023

Dados publicados pela Ookla indicam que os utilizadores da Internet em Cabo Verde poderiam esperar as seguintes velocidades de ligação à Internet no início de 2023:

Velocidade média de conexão à Internet fixa : 14,74 Mbps .

Os dados da Ookla mostram que as velocidades das ligações fixas à Internet em Cabo Verde diminuíram 1,55 Mbps (-9,5 por cento) nos doze meses anteriores ao início de 2023.

De uma lado temos os altos custos de acesso à Internet e por outro lado uma conexão ruim. Ou seja, é precária uma visão sobre qualquer uma dessas perspectivas, somado à má vontade de mudança de nossos “homens grandes”.

A conversa afiada do momento é “transformar Cabo Verde é um hub digital em África” – digitalizar o quê? Sistemas de governança? Só isso?

Quem perde com isso? Eu, você, nós! Nós perdemos nesse meio de políticas que não favorecem o acesso à rede Internet, que é propriamente gratuita, porque nós não pagamos para estar na Internet, pagamos caro para conectar-se a ela.

Todos nós perdemos nesse meio.

Ter cobertura nacional de acesso à Internet não quer dizer que a Internet chega a todos, se todos não puderem pagar para tê-la. Perde o país que poderia estar mais desenvolvido em tecnologias Web, […], perdemos tudo o que o mundo já faz na Web e nós não, justamente porque ainda somos escravos de um sistema monopolizador que não pensa no desenvolvimento, […].

É muito triste, pra não dizer chocante, escutar de um estudante universitário da área de TIC reclamar que não tem megabytes de dados para fazer pesquisas ou um trabalho universitário. Às vezes precisa dirigir à universidade para acessar à Internet e fazer pesquisas; e isso, quando não há aquelas rígidas restrições na rede (os Proxys).

Se até onde ensinamos tecnologia da informação o acesso à Internet é precário e restrito, imagine o resto do país.

Essas empresas poderiam investir em recursos tecnológicos e proporcionar ao povo a liberdade, como o resto do mundo, de estar na Web. Não me refiro a pacotes de dados de Internet móvel, mas os pacotes de Internet fixa.

Procurar uma forma de ganhar dinheiro na Internet em Cabo Verde faz todo o sentido, no entanto, vai ter um custo e por incrível que pareça, o maior custo é o de acesso à internet.

A questão em jogo não é a impossibilidade de liberar uma conexão ilimitada de dados, mas sim, lucrar com isso, porque se todos os cabo-verdianos contratassem o pacote ilimitado de dados à Internet, a empresa monopolizadora certamente instalaria o serviço para todos, mas prover dados ilimitados em todos os pacotes que a empresa oferece, não fazem, e o motivo nós já sabemos.

Quem acha que a Internet se resume a estar no Facebook ou o WhastApp, tudo bem, mas para quem precisa de Internet para trabalhar como blogueiro ou webmaster não pode, simplesmente, conformar com essa realidade.

Há algo mais frustrante do que a notificação “Caro cliente, o saldo de Internet está próximo de se esgotar. Agora a navegação será cobrada de seu saldo“? Temos condições de navegar na Internet com o saldo?

É disso que falamos. Que tentem justificar os funcionários da Alô, Unitel T+ e quem quer que seja, mas essa é a triste realidade.

Já pensou se pudermos ter acesso ilimitado à Internet em Cabo Verde, em qualquer pacote de dados? Nós mesmos montaríamos uma Agência de Consultoria Digital, abriríamos uma Escola de Informática com cursos on-line ou até mesmo uma Escola de Blogueiros ainda hoje, mas não podemos fazer isso pelos motivos já expostos; no entanto, o sonho continua vivo.

Conclusão

Resumindo, a nossa realidade é cruel e não nos permite aventurar na web e viver de blogs como gostaríamos, mas isso não se torna uma impossibilidade, contanto que paguemos o preço.

Essa breve análise é apenas pontos soltos de uma realidade bem mais cruel, se pesquisada a fundo e comparar com o resto do mundo.

Conhecendo essa realidade, não queremos lhe desanimar do sonho de ganhar dinheiro na Internet em Cabo Verde com sites e blogs, mas tenha isso em mente porque blogueiros “vivem na web” e aqui o acesso à web é cara demais.

O que você pensa sobre isso? Deixe seu comentário abaixo!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *